CIRURGIA DE SLING EM MULHERES: É NECESSÁRIO FIXAR A TELA NA URETRA MÉDIA?

É necessário realizar fixação dos slings utilizados no tratamento da IUE em mulheres?

Tape Fixation: An Important Surgical Step to Improve Success Rate of Anti-Incontinence Surgery.  Tomasz Rechberger et al, Department of Gynecology, Medical University o Lublin, Lublin, Poland.  J.Urol (186), 180-184, 2011.

Os autores estudaram essa questão através de estudo prospectivo e randomizado em mulheres com incontinência urinária de esforço. Sabemos que o índice de sucesso das cirurgias para IUE varia entre 80% e 95%. As falhas são atribuídas a diversos fatores, entre eles presença de hiperatividade, presença de deficiência esfincteriana, idade, obesidade e técnica cirúrgica. Estudos em pacientes que tiveram falha demonstram que a posição do sling estava inadequada em uma parcela delas, fazendo supor que tenha ocorrido um deslocamento da posição inicial do sling após o ato operatório. Esses autores realizaram um estudo com 463 pacientes randomizadas para sling sem fixação (232) ou com fixação (231). O trabalho segue uma metodologia clara, honesta e bem desenhada, tendo sido realizado entre 2007 e 2009 na Polônia.  As pacientes randomizadas para fixação do sling recebiam um ponto de fio de Vycril em cada lado da uretra, logo após o sling ter sido ajustado. Todas foram operadas com técnica trans obturatória e as características das pacientes de ambos os grupos eram muito semelhantes. Pacientes com hiperatividade foram excluídas do estudo.

Resultados: a eficácia da cirurgia nas pacientes com sling fixado foi de 95,12% (curadas ou melhoradas) e das pacientes com sling não fixado foi de 88,73%, diferença significante do ponto de vista estatístico. Entre as pacientes com deficiência esfincteriana intrínseca (VLPP < 60) os resultados nas pacientes com sling fixo também foram muito melhores. Os autores concluem que devemos fixar todos os slings.

Comentário: já se suspeitava que a fixação dos slings poderia garantir melhores resultados, porém este é o primeiro estudo que eu conheço realizado para estudar esta questão. Pessoalmente eu acredito que na maioria das pacientes a fixação é desnecessária, mas é difícil identificar quais são as que precisam ter o sling fixado. Normalmente, quando eu já percebo, durante a cirurgia, que o sling não permanece onde eu quero, eu reajusto as hastes do sling até que consiga isso e se for necessário eu realizo a fixação complementar. Se devemos ou não realizar fixação da tela em todos os casos é uma decisão ainda individual. Caso novos estudos confirmem estes achados poderemos recomendar em todas as cirurgias. Aguardemos.

A Urodinâmica oferece assistência aos médicos que desejam auxílio na realização das cirurgias de sling.
Esse post foi publicado em Artigos Científicos, Área Médica e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s