TENHO UMA PEDRA NOS RINS, E AGORA?

Pedra nos rins: de repente uma dor súbita e lancinante!

É sempre angustiante saber que aquela dor pode voltar. No momento da crise, a coisa parece interminável e o sofrimento parece ser insuportável. Quem já passou por isso sabe do que estamos falando.

Estima-se que metade dos indivíduos adultos possam ter pedra nos rins em algum momento na sua vida. Mas, o que é isso? Como surge a pedra nos rins? Você teve uma crise de cólica renal, e agora?

Bem vamos discutir o assunto por partes:

  • Como se forma uma pedra nos rins?
  • O que pode acontecer quando a pedra está lá?
  • E se eu tiver novamente aquela dor?
  • Quais os tratamentos existentes?
  • Existe prevenção?

Como se forma uma pedra nos rins?

A pedra ou cálculo urinário se forma basicamente de duas maneiras: excesso de substâncias formadoras de cálculos na urina (exemplos: excesso de sais de cálcio, excesso de sais de ácido úrico, etc); ou falta de água para dissolver as substâncias naturais da urina (quando uma pessoa bebe pouco líquido ou perde muito líquido em uma temporada de muito calor). Portanto, o desequilíbrio entre os solutos (substâncias formadoras) e o solvente (água) é que leva à formação dos cálculos. O excesso de substâncias formadoras de cálculos geralmente é causado por doenças renais, que levam a aumento da produção dessas substâncias. Já a falta de água é decorrente de hábitos comuns na vida moderna, onde as pessoas ingerem muito sal, pouco líquido e excesso de alimentos como por exemplo refrigerantes, leite e derivados que são ricos em cálcio; carnes vermelhas ou crustáceos que são ricos em ácido úrico.

O que pode acontecer quando a pedra está lá?

Uma pedra presente no sistema urinário pode passar pelas vias urinárias sem provocar qualquer problema e ser expelida naturalmente. Isso é o que ocorre na maioria dos casos. Entretanto, a pedra também pode ficar presa em algum ponto das vias urinárias e provocar obstrução ao fluxo natural da urina, o que leva à cólica de rim. Ela também pode causar infecção urinária e  prejuízo ao funcionamento do rim acometido. Quando o rim está obstruído, a urina retida causa dilatação das vias urinárias, um fenômeno conhecido como hidronefrose. O quadro composto por obstrução, hidronefrose e infecção urinária é uma condição clínica muito grave e geralmente exige atendimento imediato, muitas vezes necessitando internação e cirurgia.

E se eu tiver novamente aquela dor?

Quando tiver uma cólica renal você precisará, provavelmente, ir ao pronto socorro para receber medicamentos que vão aliviar a dor. Se você tiver um médico urologista pode entrar em contato com ele ou pedir ao médico de plantão que o faça. Para isso, é necessário buscar o PS do Hospital onde o seu médico já trabalha. Caso o seu médico esteja disponível ele poderá orientar o próximo passo. Caso contrário, o urologista de plantão no hospital poderá atendê-lo. Após excluir a presença de uma condição que exige intervenção com urgência, como por exemplo uma infecção muito grave, você poderá ser encaminhado para casa, para aguardar eliminação natural da pedra ou para programar o tratamento no momento mais oportuno. Caso tenha uma condição de urgência ou a dor esteja difícil de controlar você precisará ser internado.

Quais são os tratamentos existentes?

O tratamento de um cálculo urinário pode ser: apenas controlar a dor até a pedra sair naturalmente; fragmentação da pedra através de litotripsia extra corpórea e eliminação natural dos fragmentos; fragmentação da pedra através de litotripsia intra corpórea e extração dos fragmentos; cirurgia convencional. Em alguns casos um ou mais desses tipos de tratamentos são necessários e o tratamento completo é feito em etapas. Veja outros textos sobre o assunto para maiores informações.

Existe prevenção?

A melhor prevenção contra a formação de cálculos urinários é a ingestão abundante de líquidos. Geralmente, deve-se ingerir o suficiente para produzir urina clara (amarelo-limão) e ter que urinar de 6 a 8 vezes por dia. Num dia frio, sem muita atividade física, um litro de água pode ser suficiente. Mas em geral são necessários cerca de dois litros na maioria das vezes. O volume ingerido pode variar conforme a constituição física da pessoa (magro, obeso, sobrepeso, normal); conforme os hábitos alimentares; conforme o clima. Se você está produzindo urina alaranjada e urinando menos de quatro vezes por dia provavelmente está bebendo pouco líquido. Beber líquido demais pode proteger contra cálculos urinários mas pode levar a disfunções da bexiga e também não é conveniente. Analise sempre as características de sua urina e o número de vezes que vai ao banheiro para urinar.

Quando são identificadas doenças formadoras de pedra nos rins pode ser necessário a instalação de restrições alimentares e uso de medicamentos. Os alimentos, consumidos em quantidades normais, geralmente não provocam aparecimento de pedras. Entretanto, em indivíduos portadores de doenças renais, muitas vezes o único recurso é a restrição dos alimentos contendo substâncias formadoras de pedra para previnir novos cálculos. O médico urologista saberá orientá-lo quanto a isso. E lembre-se, uma dieta recomendada para uma pessoa pode não ser necessária em outra pessoa que também tem pedra nos rins.

Consulte sempre o nosso site para verificar novas informações sobre esse assunto que colocaremos no blog. Ou agende uma consulta na Clínica Urodinâmica.

Dr. Carlos Alberto Bezerra

Esse post foi publicado em Saúde Masculina, Urologia para a melhor idade, Urologia para crianças, Urologia para Mulheres e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s